Publicado anualmente, o QS World University Rankings foi criado para ajudar os estudantes em potencial a fazerem comparações das universidades líderes em todo o mundo.

Desde que os rankings foram desenvolvidos pela primeira vez, em 2004, se expandiram para classificar mais de 1000 universidades, com mais de 5.500 avaliadas em sua última versão. As 400 melhores universidades são classificadas individualmente, e as demais são classificadas em grupos – começando de 401-410, até 801-1000.

A metodologia utiliza diversos critérios para quantificar o desempenho das universidades:

- Reputação acadêmica, com peso 40%, que é baseada em pesquisa acadêmica conduzida pelo próprio QS;

- Reputação com empregadores, com peso 10%, que é baseada em pesquisa com empregadores conduzida pelo próprio QS;

- Proporção de docentes por aluno, com peso 20%, que é a divisão simples do total de docentes pelo total de alunos da instituição;

- Citações por docente, com peso 20%, que utiliza a base de dados Scopus para calcular a relação entre o número total de citações da instituição, nos últimos cinco anos, e o total de docentes;

- Proporção de docentes internacionais, com peso 5%, que é a divisão simples entre o número de docentes internacionais pelo número total de docentes da instituição;

- Proporção de estudantes internacionais, com peso 5%, que é a divisão simples entre o número de alunos internacionais pelo número total de alunos da instituição.

Na última avaliação (2021), a UnB continua como a universidade mais bem avaliada do Centro-Oeste e manteve sua posição entre as 801-1000 melhores do mundo. A evolução da classificação da Universidade no QS World University Rankings pode ser acompanhada na Tabela 1. Por decisão da própria consultoria QS, apenas as primeiras 500 universidades têm seus indicadores divulgados, o que limita bastante a análise, com base em dados, da evolução da universidade.

 

Tabela 1 - Evolução QS World University Rankings 2014-2021

 

No cenário nacional, a UnB avançou duas posições, estando agora na 10ª colocação. O gráfico abaixo mostra a evolução desde 2017.

 

Já dentre as universidades federais, a UnB voltou à 5ª posição, de acordo com o gráfico abaixo.