O Ranking Universitário Folha (RUF)[1] foi estabelecido, em 2012, pelo Jornal Folha de São Paulo. Sua última edição, em 2019, classificou 197 universidades brasileiras, englobando um rol que vai desde universidades privadas até universidades públicas, passando por universidades estaduais, federais e privadas sem fim lucrativo. A edição desse ranking baseia-se em dados nacionais e internacionais e em duas pesquisas de opinião realizadas pelo Instituto Datafolha, as quais avaliaram os seguintes critérios: pesquisa, ensino, mercado de trabalho, internacionalização e inovação.

Critérios de Avaliação:

A pesquisa[2] tem um peso de 42% na construção do RUF. Esses 42% são distribuídos da seguinte maneira: total de publicações (7%); total de citações (7%); citações por publicação (4%); publicações por docente (7%); citações por docente (7%); publicações em revistas nacionais (3%); recursos recebidos por instituição (3%); bolsistas CNPq (2%); e teses (2%).

O ensino[3] tem uma participação de 32% na formação do RUF. Esses 32% são distribuídos do seguinte modo: Opinião de docentes do ensino superior (20%); Professores com doutorado e mestrado (4%); Professores em dedicação integral e parcial (4%); e Nota no ENADE (4%).

O mercado[4] tem uma participação de 18% na formação do RUF. Esse valor considera a opinião de empregadores sobre preferências de contratação (18%).

A inovação[5] participa com 4% do total do RUF. Esses 4% são divididos em: patentes (2%) e parcerias com empresas (2%).

A internacionalização[6] responde por 4% do total do RUF. Esses 4% incluem: Citações internacionais por docente (2%), e Publicações em coautoria internacional (2%).

A UnB participa do RUF desde 2014. Desde então, conforme ilustrado nas figuras abaixo, a UnB vem apresentando resultados sólidos, com tendências de pequenas melhoras ou estabilidade em quatro dos cinco critérios avaliados. Como exceção, sua nota de inovação sofreu uma queda pontual no ano de 2018, a qual, em seguida, se estabilizou. Consequentemente, houve uma piora no posicionamento da universidade nesse critério específico. Por fim, verifica-se uma melhora consistente do posicionamento da UnB no critério de “Posição em Pesquisa”.

 

 

 

Em conclusão, apresenta-se a a figura abaixo, para demonstrar a manutenção da UnB em oitavo lugar entre as universidades federais e, desde 2015, em nono lugar entre as universidades brasileiras.

 

 


[1] https://ruf.folha.uol.com.br/2019/

[2] Fonte: Web of Science (de 2012 a 2016 para publicações e 2017 para citações), Capes, CNPq e agências federais de fomento (2017), SciELO (de 2012 a 2016).

[3] Fonte: pesquisa Datafolha (2017, 2018 e 2019), ENADE (2015, 2016 e 2017), Censos (2017, 2016 e 2015)

[4] Fonte: pesquisa Datafolha (2017, 2018 e 2019)

[5] Fonte: Web of Science (2012 a 2016) e INPI (2008-2017).

[6] Fonte: Web of Science (de 2012 a 2016 para publicações e 2017 para citações).