A Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior), diante do compromisso da instituição em formar lideranças comprometidas e capazes de transformar o país, promovemos o acesso à vivência empresarial ainda no espaço acadêmico. Partindo desta perspectiva de responsabilização com a formação dos estudantes, tiveram a iniciativa de construir o Ranking de Universidades Empreendedoras (RUE)[1].

Metodologicamente, esse ranking é constituído dos seguintes indicadores:

Cultura empreendedora: Avalia três quesitos: Postura empreendedora discente, Postura empreendedora docente e Avaliação da grade curricular. Esse indicador é Extraído por meio de três perguntas, acerca da avaliação das características empreendedoras presentes nos alunos da Instituição, da percepção a respeito da postura empreendedora dos alunos e da participação no crescimento de algum projeto da IES.Extraído por meio de três perguntas, acerca da avaliação das características empreendedoras presentes nos alunos da Instituição, da percepção a respeito da postura empreendedora dos alunos e da participação no crescimento de algum projeto da IES.

Inovação: Consiste-se em três subindicadore: Pesquisa, indicador mensurado por meio de dois modelos, sendo eles resultados do número de citações por artigo - extraídos da Web Of Science/InCites, e volume de produção para cada 1000 alunos na universidade. O resultado obtido do indicador é calculado pela média desses dois subindicadores, que possuem o mesmo peso, normalizados de 0 a 10, sendo 10 a IES com o maior valor;

Patente: revela o número de patentes que foram depositadas pela IES em um período de 10 anos. Os dados foram extraídos da plataforma internacional Wipo - World Intellectual Property Organization; e Proximidade IES-Empresa, esse indicador é mensurado por meio de três modelos, sendo eles resultados das ICTs, existência de NIT e empresas incubadas. O resultado obtido da proximidade IES-Empresa é calculado pela média desses três subindicadores, sendo o primeiro com peso 6 e os demais peso 2, e normalizados de 0 a 10, sendo 10 a Universidade com o maior valor.

Extensão: Consiste-se em três subindicadores: Redes, esse indicador mostra como as organizações estudantis com representatividade nacionais - AIESEC, Brasil Júnior e Enactus - são vistas. Este critério foi o mais bem elencado na pesquisa de percepção e por isso recebeu peso 3. Considerando o crescente número de empresas juniores nas IES, as mesmas correspondem a 80% da nota, enquanto a existência de escritórios da AIESEC e Enactus correspondem a 10% cada um; Ações de Extensão, revela os dados referentes ao número de ações de extensão cadastradas na IES, os quais foram coletados pelos embaixadores do RUE. Esses números de projetos de extensão foram divididos pelo número de alunos da instituição, e foram metrificados de 0 a 10, tendo a IES com maior valor 10; e Altmetria, propõe considerar o impacto das produções científicas em ambientes online, o qual considera um conjunto bastante diversificado de informações, tais como, citações, menções, compartilhamentos e curtidas em mídias sociais, entre outros. Esses números foram obtidos na plataforma Altmetric, tendo a IES com maior valor 10.

Internacionalização: Consiste-se em três subindicadores: Intercâmbio, avalia o número de intercâmbios internacionais realizados pela IES, abrangendo tanto a saída de alunos da IES para o exterior, como a entrada de alunos estrangeiros na IES, dividido pelo número de alunos; Parcerias com IES internacionais, mensura a oferta de intercâmbios e de integração por meio de pesquisas com outras IES. O número de parcerias internacionais para cada 1000 alunos foi coletado pelos embaixadores do RUE; e Pesquisas com colaboração Internacional, esse indicador considera o número de artigos em parceira internacional frente ao número de produção da IES, extraídos da Web Of Science/InCites e normalizados de 0 a 10, sendo 10 a IES com o maior valor.

Infraestrutura: Consiste-se em dois subindicadores: Qualidade de Infraestrutura, esse indicador é calculado com base na avaliação da percepção dos discentes por meio das lentes da infraestrutura física e também da disponibilidade/velocidade da internet em sua instituição; e Parque Tecnológico, indicador é composto pela soma dos indicadores de Instalação de Parque Tecnológico na cidade da IES e existência de parceria, associação ou convênio entre a instituição e o Parque Tecnológico da cidade.

Capital Financeiro: Consiste-se em dois subindicadores: Orçamento, busca considerar o orçamento das IES, os dados orçamentários das instituições de ensino foram coletados pelos embaixadores. O valor global foi dividido pelo número de alunos, a IES com a maior razão recebeu a nota 10, sendo as notas das outras IES normalizadas a partir deste valor; e Fundos patrimoniais, Esse indicador considera a existência de fundos patrimoniais nas instituições, sendo endowments constituintes de um fundo patrimonial mantido pela sociedade civil que visa auxiliar as instituições a manterem-se.

Os próximos dois gráficos abaixo representam o posicionamento da Universidade de Brasília no indicadores do Ranking Uniemp. Por fim, o terceiro gráfico dessa secção representa a nota da UnB nos indicadores e subindicadores desse ranking.

 

 

 

 


[1] https://universidadesempreendedoras.org/ranking/